O vice-presidente Hamilton Mourão (PRTB) afirmou, nesta segunda-feira (26/4), que o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) deve escolher outro nome para compor a chapa de reeleição em 2022. Em dois anos de governo, o general e o capitão reformado do Exército têm tido algumas posições diferentes – o que, segundo interlocutores, não tem agradado o chefe do Executivo.

Com a volta do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva ao cenário político, Bolsonaro busca um nome forte para se reeleger no pleito do ano que vem.

“Bolsonaro vai escolher outra pessoa para acompanhá-lo para a reeleição. O que tenho visto [nas] declarações de Bolsonaro é que ele precisaria de outra pessoa no meu lugar, mas ele nunca disse isso para mim”, disse Mourão, durante entrevista ao jornal Valor Econômico.

Segundo o vice, a intenção é que, no próximo ano, ele concorra a uma vaga no Senado Federal pelo Rio Grande do Sul. “Se abrir a possibilidade, vejo que disputar a cadeira ao Senado estaria mais ao encontro da maneira como sou, como atuo.”

Mourão afirmou que, caso a candidatura de fato ocorra, deve ser feita, “a princípio”, pelo PRTB. Ele ressaltou, no entanto, que vai esperar para ver se o partido terá alguma reestruturação, sobretudo depois da morte do fundador da sigla, Levy Fidelix, na última semana.

Durante a entrevista, o vice-presidente ainda avaliou que não há, até o momento, um nome com força nacional para disputar o pleito de 2022 como uma “terceira via”.

Atualmente, o cenário político tem ao menos cinco presidenciáveis, além de Bolsonaro e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. São eles: Ciro Gomes (PDT), Eduardo Leite (PSDB), Fernando Haddad (PT), João Doria (PSDB) e Luciano Huck (sem partido).

“A terceira via, para surgir, tem que se valer da união dos partidos de centro, centro-direita, centro-esquerda”, declarou Mourão. O general destacou que esses partidos precisam largar a “vaidade” e buscar um “nome factível, que empolgue o eleitorado”.