No município de Areia Branca, que está entre os municípios brasileiros que mais a covid19 matou na primeira onda, o secretário da saúde da Prefeitura, Alexandre Inácio, pediu exoneração do cargo porque não pode usar um respirador móvel do Governo do Estado emprestado a Areia Branca/RN para salvar um cidadão de Carnaubais/RN.

Me botaram pra fora por que eu queria salvar vidas e eles não deixam”, diz Alexandre Inácio, em áudio divulgado
nas redes sociais enviado por ele ao médico José Alfredo, marido da prefeita Iraneide Rebouças.

Inclusive, neste mesmo áudio enviado ao médico José Alfredo, Alexandre Inácio explica, em detalhes, os motivos
pelos quais pediu exoneração. Antes, deste áudio, Iraneide Rebouças havia dito que estava faltando oxigênio em
Areia Branca e foi desmentida.

Confira:

No áudio, Alexandre diz ao marido da prefeita que emprestou o respirador móvel, que pertence ao Governo do
estado e não a Prefeitura de Areia Branca, para o então colega secretário de Carnaubais salvar a vida de um
cidadão, mas quando chegou no hospital da cidade de Areia Branca, para buscar o aparelho, a diretora se negou a
entregar.

“Esse paciente, se ele não conseguir um leito de UTI hoje, ele vai a óbito, e eu não vou carregar comigo essa
morte nas minhas costas, certo? Porque o que eu tinha que fazer, eu tentei e não consegui, porque a diretora disse
que a prefeita determinou a não liberação em hipótese alguma
“, disse no áudio Alexandre Inácio.

Infelizmente o paciente faleceu. O áudio terminou em todos os grupos de WhatSapp, de Areia Branca e Mossoró. Não foi negado pelo ex-secretário, até porque a voz dele é conhecida e todos o conhece. O clima é tenso na cidade e rememora o período da primeira onda da pandemia, onde a gestão municipal travou as medidas necessárias para evitar o avanço do vírus na cidade, apesar de terem sido alertadas por diversas vezes, e morreu mais de 50 pessoas.

Mossoró Hoje