Depois do MDB/PROS terem realizado uma mega convenção que homologou as candidaturas de Sael Melo (prefeito) e Francisco Faustino (vice-prefeito), além das nominatas que concorrerão ao legislativo municipal, tendo ainda apoio do PT e do vereador-presidente da Câmara Municipal, Juscelino Gregório, é esperando que o grupo governista, liderado pelo prefeito Sael, dê o tom, ou melhor, o ritmo a campanha neste ano.

Com a pandemia do coronavírus, a campanha tende a ser mais digital/virtual, a utilização das redes sociais será fundamental para levar até o eleitor as melhores propostas, plano de governo e se apresentar de forma geral. Esse contato virtual com certeza será mantido o que não descartará a realização de algumas mobilizações pessoais, seja carreata ou comícios, em cidade pequena, a gente sabe como é.

Avaliação do cenário pré-campanha

As duas oposições, uma tem a jovem Meyrelle (Avante) como candidata a prefeita, uma candidatura sem envergadura, sem grupo político, conta apenas com o apoio familiar; na outra banda, Magnus (PL), assumiu a campanha oposicionista após o ex-prefeito Titico (PP) retirar a candidatura de sua esposa, Clarinha, por motivos de saúde. Magnus tenta coordenar as subdivisões existentes no seu grupo.

No governismo, resultados apresentam favoritismo e deve manter Sael Melo prefeito, a coligação ‘Força do Povo’, segue consolidando apoios diários ao projeto. Sael que não faz parte de nenhuma família tradicional nem oligárquica existente na cidade, tem trabalhado e colocando nas mãos do povo a Prefeitura, o que nunca antes na história política da cidade havia acontecido, pois a poder era concentrado em 2 ou 3 famílias, deixando o filho do pescador, da dona de casa, do agricultor do lado de fora da Prefeitura. A realidade hoje é outra, Sael tem dado oportunidade para todos.