Lídia Galdino, professora da UCL (University College London) e pesquisadora financiada pela Royal Academy of Engineering, ambas em Londres, conseguiu estabelecer uma conexão capaz de baixar mil filmes de um disco simples de blu-ray em apenas um segundo.

A brasileira Lídia Galdino, criou a conexão de internet mais rápida do mundo: 178,08 terabits por segundo. A pesquisa foi realizada durante dois anos e estabeleceu o novo recorde de transmissão de internet por fibra ótica.

A reportagem do portal Uol destaca que “a velocidade obtida pela pesquisa de Galdino está próxima do limite teórico de transmissão de dados, estabelecido pelo matemático americano Claude Shannon em 1949. O novo recorde, demonstrado em um laboratório da UCL, é 18,4% mais rápido do que o recorde mundial anterior, obtido por uma equipe no Japão, que em 2018 chegou a 150,3 Tb/s.”

A matéria ainda informa que “com toda essa velocidade, seria possível baixar toda a biblioteca da Netflix em menos de um segundo, ou os dados que compuseram a primeira imagem de um buraco negro em menos de uma hora. Para conseguir esta imagem, foram necessárias meia tonelada de discos rígidos.”