O ex-presidente da CGADB, pastor José Welligton Bezerra da Costa, comandou a entidade por cerca de 29 anos. Devido aos fortes embates entre o grupo do pastor Samuel Câmara  que queria comandar a entidade e  o grupo do pastor José Welligton Bezerra, o Estatuto da CGADB foi alterado para permitir apenas uma única reeleição, conforme preconiza o artigo 37:

Art. 37. A Mesa Diretora da Convenção Geral, a partir da próxima Assembléia Geral Ordinária, será eleita para um mandato de quatro anos, na penúltima sessão da Assembléia Geral Ordinária, nos termos do artigo 15 e seus parágrafos e compõe-se de:

I – um Presidente; 
II – cinco Vice-Presidentes; 
III – cinco Secretários; 
IV – dois Tesoureiros.

Parágrafo único. O Presidente e os Tesoureiros poderão ser reeleitos para um único período subseqüente.

As futuras Convenções Regionais que forem criadas, para serem credenciadas pela CGADB, terão que passar por um crivo mais difícil. De acordo com as novas regras, elas terão que ter pelo menos 05 anos de fundação e 500 ministros filiados. Atualmente era preciso apenas 300 ministros filiados.
Outra informação importante, é que a nova convenção precisará da anuência das demais convenções existente no Estado para ser homologada pela CGADB.