O governador Robinson Faria (PSD-RN) e seu filho, o deputado federal Fábio Faria (PSD-RN) foram citados nas delações da JBS acusado de receber R$ 10 milhões em propina em troca da privatização da Companhia de Águas e Esgotos do Rio Grande do Norte (Caern).

Nos acertos com o grupo JBS, o então candidato a deputado federal Fábio Faria e o candidato a governador Robinson Faria, também teriam deixado a oferta para que o grupo “indicasse um secretário estadual” em caso de vitória eleitoral do PSD.

As informações estão em vídeo na delação do executivo da holding que controla a JBS, Ricardo Saud. No mês passado, o consórcio Aqua foi selecionado para fazer os estudos técnicos para abertura de capital da estatal pelo valor de R$ 6,3 milhões.

Além das declarações sobre os acertos feitos com o governador Robinson Faria, os empresários da JBS entregaram à Justiça outros tipos de provas, como anotações e planilhas com a relação das doações feitas. Em uma delas, é possível ver “02/10- Robinson Faria-1”, em outra “5 milhões Robinson Faria R. G. do Norte”.

Nesta mesma anotação também é possível ler “0,5 Fátima Bezerra Senadora”. Segundo os investigadores, as anotações se referem as datas e valores repassados pela JBS para os políticos potiguares.

De acordo com as informações repassadas pelos candidatos das eleições de 2014, Robinson recebeu R$ 5,4 milhões de doações oficiais da JBS/SA em cinco doações: R$ 1 milhão (em 18/07/2014), R$ 1,7 milhão (em 15/09/2017), R$ 1 milhão (02/10/2014), R$ 700 mil (06/10/2014) e R$ 1 milhão (em 18/07/2014). Já o deputado Fábio Faria declarou o recebimento de R$ 1,1 milhão em três doações da JBS/SA: R$ 500 mil (em 18/07/2014), R$ 300 mil (em 15/09/2014) e mais R$ 300 mil (em 06/10/2014).

A senadora Fátima Bezerra declarou, ao TSE, ter recebido o total de R$ 2.750.000 de doações da JBS/SA Frigorífico Abate de Bovinos: R$ 500 mil (em 18/07/2014), R$ 190 mil (em 10/09/2014) e R$ 475 mil (em 15/09/2014). Além de Robinson, entre os chefes de Executivos Estaduais também foram citados o governador do Mato Grosso do Sul, Reinaldo Azambuja (PSDB-MS), o de Minas Gerais, Fernando Pimentel (PT-MG), o de Santa Catarina, Raimundo Colombo (PSDSC). Os ex-governadores Cid Gomes (PDT-CE), Sérgio Cabral (PMDB-RJ), Silval Barbosa (PMDB-MT) e André Puccinelli (PMDB-MS) também aparecem nas 2017­5­19 Robinson e Fábio Faria teriam recebido R$ 10 milhões da JBS para privatizar CAERN.

O empresário Joesley Batista, da JBS, disse à Procuradoria-Geral da República (PGR) que seu grupo empresarial pagou, “nos últimos anos”, R$ 400 milhões em propina a políticos e servidores públicos. A lista, segundo ele, inclui senadores, deputados e presidentes da República.

O delator contou que o levantamento dos valores foi feito por meio de uma investigação interna em seu grupo empresarial, que ele próprio determinou, antevendo que seria chamado a dar explicações ao Ministério Público Federal (MPF). A JBS é alvo de ao menos cinco operações policiais que avaliam fraudes contra a administração pública, lavagem de dinheiro e corrupção. O empresário contou que seu grupo empresarial está envolvido em crimes há “10, 15 anos”. O montante de doações legais a políticos, segundo ele estimou, é bem menor que o que foi o distribuído “por fora”: R$ 100 milhões.

Fonte: TN

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here