Bolsonaro muda tom e fala em ‘maior desafio da geração’

Em pronunciamento na noite desta terça-feira, 31, o presidente da República, Jair Bolsonaro, mudou o tom em relação à pandemia do novo coronavírus (Sars-CoV-2) e não fez críticas em relação ao isolamento social.

O Brasil avançou muito nesses 15 meses. Mas agora, estamos diante do maior desafio da nossa geração. Minha preocupação sempre foi salvar vidas. Tanto as que perderemos pela pandemia como aquelas que serão atingidas pelo desemprego, violência e fome“, disse ao abrir sua fala.

Na segunda-feira, 30, o responsável pela OMS afirmou que entendia que pessoas sem renda precisavam trabalhar, porque ele mesmo tinha vindo de uma família pobre. Por isso, Ghebreyesus afirmou categoricamente que os governos precisavam garantir recursos para essas pessoas não precisarem sair de sua casa e, assim como os demais, pudessem ficar em isolamento e evitar a propagação do novo coronavírus – protegendo a sua saúde e a de sua família.

Bolsonaro adotou um tom moderado no pronunciamento. “Não me valho dessas palavras para negar a importância das medidas de prevenção e controle da pandemia, mas para mostrar que, da mesma forma, precisamos pensar nos mais vulneráveis“, disse ainda.

Pronunciamento de Bolsonaro divide opiniões no meio político

Gostei da postura do Bolsonaro no pronunciamento. Falou em união, listou ações, ponderou sobre os riscos à saúde e danos socioeconômicos. Não provocou. Foi bem melhor que o anterior“, disse o deputado Paulo Martins (PSC-PR), no Twitter.

Parabéns Presidente @jairbolsonaro pelo pronunciamento responsável, sensato e verdadeiro“, tuitou um dos filhos do presidente, o senador Flávio Bolsonaro (Sem partido-RJ).

Perfeito o pronunciamento do PR @bolsonaro“, postou a deputada Bia Kicis (PSL-DF).

Bolsonaro não tem limites. Distorceu pronunciamento do Diretor da OMS. É evidente que os informais precisam ter o seu ganha-pão. Mas é exatamente o que o governo federal está retardando. Hoje, Guedes mentiu e disse não poder pagar renda emergencial sem uma PEC“, afirmou o deputado Glauber Braga (PSOL-RJ), na rede social.