Confira a resenha sobre o primeiro dia de propaganda eleitoral

O primeiro programa eleitoral no rádio dos candidatos à Presidência da República foi ao ar às 7h deste sábado, 1º de setembro. Vamos resenhar sobre a propaganda de apenas cinco candidatos:

⇒LULA INSISTENTE

Mesmo preso e condenado na Operação Lava Jato, continua imbatível na corrida pela Presidência. Nesta semana o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) rejeitou o registro da candidatura do petista e sua aparição na propaganda política como candidato. Contudo, autorizou a veiculação do programa do PT na rádio como programado antes do término do julgamento – ou seja com Lula como um presidenciável – dado o adiantado da hora em que a decisão foi tomada. O Partido dos Trabalhadores dedicou seu espaço a exaltar a candidatura do ex-presidente, com a defesa da aposentadoria e do emprego.

⇒BOLSONARO17

Com apenas 8 segundos, Bolsonaro focou no slogan de sua campanha. “Brasil acima de tudo, Deus acima de todos”, declarou rapidamente o candidato, penúltimo na ordem de disposição das campanhas no rádio.

⇒ALKIMIN AGRESSIVO

Com o maior tempo de exposição, 5,32 minutos, a coligação formada pelos partidos PTB, PP, PR, DEM, SD, PPS, PRB, PSD e PSDB, que tem como candidato o ex-governador de São Paulo Geraldo Alckmin, fez críticas ao candidato do PSL, Jair Bolsonaro17. A estratégia do PSDB é apostar no eleitor indignado, que hoje tende a caminhar com o candidato do PSL, mas que não está seguro com o discurso.

⇒MARINÃO 

Marina Silva que, também conta com tempo de exposição exíguo, exaltou as mulheres. “Juntas somos fortes. Essa luta é nossa”, afirma a candidata.

⇒MEIRELLES, CHAMA QUE ELE VEM

O Henrique Meirelles destacou sua experiência em governos anteriores como a qualidade necessária para “salvar o Brasil em momentos difíceis”. “Sempre sou chamado para resolver os problemas que os políticos não sabiam como resolver. Lula me chamou, o Brasil estava em crise, criamos dez milhões de empregos e programas importantes”, disse o ex-ministro da Fazenda. “Veio a Dilma, errou feio na economia e o novo governo (Temer) me chamou para arrumar a casa e evitar o colapso. Quero ser presidente para fazer as coisas certas desde o começo”, emendou. Ressaltou ainda que “o mundo não se divide entre quem gosta e não gosta de Lula e FHC e sim em quem ajuda ou não ajuda”, acrescentando que nunca teve “processo na vida”.

⇒CIRO

O mote de regularizar a situação financeira da população foi o destaque da breve participação do candidato do PDT, Ciro Gomes, na propaganda de rádio, assim como o desemprego. “Temos 13 milhões de desempregados, 32 milhões de pessoas vivendo de bico e 63 milhões no SPC. Podemos mudar esse jogo”, declarou.

Sobre o Autor

R Alves Brazão
R Alves Brazão

CEO do Sistema de Comunicação Portomanguense.

0 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *