URGENTE: WILMA DE FARIA NEGA BOATOS DE SUA ‘MORTE’

Atualmente vereadora pelo PTB, Wilma está em tratamento no Hospital Sírio Libanês, em São Paulo

Negando os boatos espalhados sobre sua morte, a ex-governadora do RN e atual vereadora de Natal falou hoje, 25, em suas redes sociais que continua em tratamento de um procedimento cirúrgico, feito no Hospital Sírio Libanês, em São Paulo.

“Infelizmente entro em contato tão tarde para tranquilizá-los e dizer aos milhares de potiguares que gostam de mim que estou bem. Sigo em tratamento, fiz um procedimento cirúrgico há alguns dias. Mas volto de São Paulo para Natal na próxima semana e tenho muita fé em Deus que em poucos dias retomarei minhas atividades na Câmara Municipal”, afirmou.

Em nota, a assessoria da vereadora informou que a parlamentar retorna para suas atividades legislativas no RN, na próxima semana. A nota ainda diz que Wilma teve inicialmente consultas e exames na capital paulista e depois foi submetida a um procedimento para desobstrução de stent nas vias biliares, no Hospital da Beneficência Portuguesa.

DEPUTADO DA COSTA BRANCA RECEBEU DOAÇÕES DA JBS ENVOLVIDA NA ‘CARNE FRACA’

A Operação Carne Fraca, deflagrada na sexta-feira 17 pela Polícia Federal, chocou os brasileiros com denúncias de violações sanitárias e foi capaz de causar sérios danos à imagem de gigantes do setor alimentício, como JBS e BRF. As notícias correram o mundo, e diversos países importadores anunciaram duras restrições à entrada de carne brasileira em seus territórios, afetando um setor estratégico da economia.

A existência de um largo esquema de corrupção, contudo, parece evidente. Anunciada como a maior operação da história da PF, a Carne Fraca revelou uma organização criminosa liderada por fiscais agropecuários federais e empresários do agronegócio. De acordo com a investigação, agentes do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) recebiam propina para emitir certificados sanitários sem fiscalização.

Entre os flagrados do lado das companhias estão Roberto Mülbert, da Big Frango, e Flavio Evers Cassou, da Seara, este apontado como dono de uma “relação quase societária” com Maria do Rocio Nascimento, tida como uma das líderes da organização criminosa investigada. As duas empresas são controladas pela JBS.

Doadoras de campanha

O impacto político da operação pode ser grande. A JBS, que controla as marcas Friboi e Seara, foi a maior doadora do País nas eleições de 2014: foram mais de 350 milhões de reais doados a dezenas de políticos e partidos.

Uma das 32 empresas investigadas na Operação Carne Fraca, desencadeada pela Polícia Federal na última sexta-feira 17, a JBS S/A – responsável pelas marcas Seara e Big Franco, gigantes do setor alimentício – fez doações oficiais para as campanhas de políticos potiguares nas eleições de 2014.

Um dos políticos que recebeu doação para a campanha eleitoral de 2014, foi o deputado Souza, via Diretório Estadual do PHS, que pode ser conferida no site do Tribunal Superior Eleitoral.

Dep. Souza Neto – PHS

PORTO DO MANGUE NO ‘TÔ DE FOLGA’ DO JORNAL HOJE

A cidade de Porto do Mangue, localizada na região da “Costa Branca” no Rio Grande do Norte, foi destaque nesta sexta-feira, 24, no quadro ‘Tô de Folga’ do Jornal Hojeque vai ao ar sempre as 13h na emissora Globo.
 
A cidade de Porto do Mangue foi uma entre as três escolhidas do estado para aparecer na telinha do jornal (as outras foram Natal, Galinhos).
 
De acordo com a jornalista que fez a matéria, Giulia Perachi da filiada da Globo, RBSTV, Porto Alegre, juntamente com o cinegrafista Flávio Muniz. A cidade de Porto do Mangue foi escolhida por ter atrativos turísticos singulares, um deles é as dunas rosadas, que já foi local de outras produções da Globo, o nome das dunas identifica a comunidade pesqueira da Praia do Rosado, município de Porto do Mangue.
 
A jornalista Giulia disse ter ficando encantada com tantas belezas em um só lugar, o sertão encontrando-se com o mar. Confira o vídeo a baixo, aproveite e compartilhe;-).

CÂMARA FEDERAL APROVA TERCEIRIZAÇÃO PARA TODAS AS ATIVIDADES

Resultado de imagem para CAMARA APROVAA Câmara dos Deputados aprovou, nesta quarta-feira, lei que libera o trabalho terceirizado em todas as atividades das empresas e várias atividades do Estado. Por 231 votos a favor, 188 contra e oito abstenções, a base aliada do Governo Michel Temer conseguiu ressuscitar o texto, proposto há 19 anos pelo Governo do então presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB) e já aprovado no Senado.

Como é a legislação atual

Como não há uma lei específica para a terceirização, o tema vem sendo regulado pelo Tribunal Superior do Trabalho, através da súmula 331, de 2003. Segundo o dispositivo, a terceirização é possível apenas se não se tratar de uma atividade-fim, o objetivo principal da empresa, por exemplo: o ato de fabricar carros é a atividade-fim de uma montadora. Pela regra atual, só atividades-meio, como limpeza, manutenção e vigilância na montadora do exemplo, seriam passíveis de terceirização.

O que muda

A principal mudança se refere à permissão das empresas para terceirizar quaisquer atividades, não apenas atividades acessórias da empresa. Isso significa que uma escola que antes poderia contratar só serviços terceirizados de limpeza, alimentação e contabilidade agora poderá também contratar professores terceirizados.

Empregos temporários

O projeto também regulamenta aspectos do trabalho temporário, aumentando de três para seis meses o tempo máximo de sua duração, com possibilidade de extensão por mais 90 dias. Ou seja: até nove meses de trabalho temporário. Os temporários terão mesmo serviço de saúde e auxílio alimentação dos funcionários regulares, além da mesma jornada e salário. O texto aprovado inclui a possibilidade de contratação de temporários para substituir grevistas, se a greve for declarada abusiva ou houver paralisação de serviços essenciais.

MAIORIA VOTA CONTRA PROJETO QUE IRIA BENEFICIAR A COMUNIDADE RELIGIOSA

Ver. Juscelino foi o autor do Projeto que iria beneficiar a classe religiosa…

Como a nossa Redação já havia adiantado na semana passada, CCJ votou contra o Projeto que iria beneficiar a comunidade religiosa da cidade de Porto do Mangue.

5 dos 9 vereadores votaram contra.

São eles: Jean Maia (SD); Izidro Junior (PSB); Jailson Fernandes (PSD); Helena (PHS) e Aclécio Santana (PHS).

Sob aplausos de protestos das lideranças religiosas que estavam presente, eles (vereadores) votaram e deram um NÃO à comunidade Católica e Evangélica.

De acordo com o vereador Juscelino Gregório (PPS), autor do Projeto 001/2017, o projeto visava dar apoio ao fomento e desenvolvimento de atividades das instituições em questão.

O programa tinha por objetivo fortalecer o seguimento religioso na nossa cidade, tendo em vista o vasto e importante trabalho que estas instituições promovem à sociedade, ajudando pessoas. As Igrejas por exemplo, tem seus custos com infraestrutura e ações sociais, então é hora de reconhecermos e ajudarmos ainda mais na promoção de suas boas ações.” frisou o vereador.